Cães menores são mais problemáticos?

boston-terrier.jpg

Um estudo conduzido pela Universidade de Sydney aponta que a raça do cachorro e fatores históricos influenciam no seu comportamento. Adidas Shop van Nederland O estudo, na realidade, vai até além ao argumentar que a chance de um cão ter comportamentos não desejados está ligada às características físicas do cachorro.

Mais de 8.000 cachorros, de 80 raças diferentes, foram utilizados nesse experimento e ela cruzou dados de altura, peso e do tamanho do crânio com o comportamento dos mesmos.

Dos 36 comportamentos não desejados considerados no estudo, 33 tinham considerável correlação com a altura, o peso e o formato do crânio do cão. Nike Air Max 2016 Heren groen Abaixo mais conclusões do estudo.

Ah, que isso, os pequenos são descontrolados!

De acordo com o autor do artigo publicado no tema, o professor Paul McGreevy, o experimento aponta que quanto mais baixo for o cachorro, menor a capacidade de seus donos controlarem o seu comportamento. air max 1 pas cher Isso leva a diversos problemas de comportamento e pode ser um indicativo de um problema advindo de anos de seleção artificial para o desenvolvimento de raças.

O levantamento concluiu ainda que quanto menor a altura do cachorro, maior a chance dele montar em outros cães, pessoas e objetos e maior a probabilidade de ele ser agressivo com o dono, de demandar atenção e ser hiperativo.

Complementarmente, a pesquisa revelou que quanto mais alto o cachorro, maior o seu nível de adestrabilidade.

Cães com crânio longo não são amigáveis com pessoas desconhecidas

Segundo o estudo, o formato do crânio do cachorro também tem relação com seu comportamento. adidas chaussures homme Cachorros com crânios mais cumpridos, como os Whippets, por exemplo, são bons caçadores, porém tendem a latir mais, a estranhar mais pessoas desconhecidas e a roubar comida.

Já os cães com o crânio curto, como os Pugs, caçam mal, mas mantém ao longo de sua vida uma personalidade amigável, como a de um filhote.

Donos também são responsáveis pela personalidade de seus cães

Uma ressalva importante feita pelo estudo é que, apesar de nós podermos ter fomentado esses problemas ao longo do processo de criação das raças, ao nos preocuparmos mais com os aspectos físicos dos animais do que psicológicos e comportamentais, é possível que a forma como os donos lidam com os diferentes comportamentos de seus cães tenha influência o sob resultado da pesquisa.

Isso acontece pois nem sempre temos os mesmos critérios do que é certo ou errado para diferentes cães. Por exemplo, a reatividade (quando o cão responde agressivamente ao que está sentindo, como, por exemplo, medo) e o ato de montar em cães e nas pernas das pessoas é mais tolerado em cães pequenos do que em cães maiores.

Ao mesmo tempo, talvez por não ser tão intimidador, cães pequenos podem começar a latir e ingressarem em comportamentos agressivos sem serem tão reprimidos. 2017 nike air max pas cher Quantas vezes você já não foi visitar uma pessoa e tinha um poodle miniatura ou um chihuahua que não paravam de latir pra você e o dono quase que não ligava. Agora imagine essa mesma situação com um pastor alemão ou um dogue alemão. Muito possivelmente esse comportamento não seria tão tolerado.

Pesquisa comprova que os gatos gostam mais das mulheres

mulher-ama-gato-web.jpg

Quem tem um gato sabe e não duvida de que eles amam seus donos incondicionalmente, ainda que nem sempre saibamos identificar como eles nos mostram esse amor.

Ainda assim, de acordo com um estudo publicado no Jornal de Processos Comportamentais, os gatos preferem as mulheres aos homens.

O relacionamento entre gato e dono é mais profundo do que imaginamos

Para reunir os dados necessários para o estudo, os donos e seus gatos foram submetidos a testes para identificar alguns traços importantes de sua personalidade e em seguida foram gravadas 41 interações entre eles.

Dentre as descobertas dos pesquisadores, destaca-se o fato de que o comportamento dos gatos e de seus donos são influenciados uns pelos outros.

Nesse sentido, o estudo apontou que alguns gatos que tinham mulheres mais expansivas como donas precisavam de sinais bastante sutis, como um simples eriçar da cauda, para mostrar para suas donas que eles desejavam se aproximar delas naquele momento. E foram além ao afirmar que isso provavelmente estava associado ao histórico do relacionamento que as donas tinham com seus gatos.

Aliás, o estudo apontou uma tendência: os gatos se aproximaram das donas que eram mulheres mais frequentemente do que os gatos que tinham homens como donos, sendo que os gatos que tinham donas eram os responsáveis por iniciar o contato mais vezes do que os que tinham donos.

Os pesquisadores apresentaram que os gatos tendem a lembrar momentos passados de carinhos e afagos e a retribuir esse favor mais tarde, algo que acontecia mais frequentemente com mulheres. nike tn pas cher Aliás, o estudo atestou que se os donos aceitassem os desejos dos gatos de interagir, os gatos provavelmente iriam também aceitar esse desejo dos donos no futuro.

A co-autora do estudo, Dorothy Gracey, explica um pouco mais desse comportamento:

“O relacionamento entre um gato e um humano pode envolver atração mútua, compatibilidade de personalidade, facilidade de interação, brincadeira, afeto e apoio social. Fjallraven Kanken Kids O humano e seu gato podem mutuamente desenvolver interações ritualizadas que mostram uma compreensão substancial e mútua das inclinações e preferências de cada um.”

Os gatos são apaixonados pelos donos e demonstram esse carinho de diversas formas, dentre elas copiar a rotina diária do dono e passar o dia reservando sua energia para brincar quando o dono chegar em casa. Mas ainda assim, o comportamento do gato se intensifica quando seu dono é uma mulher.

Como os gatos agem quando estão com suas donas

O estudo revela que o motivo que faz com que os gatos estejam mais próximos das mulheres é que elas interagem com os seus gatos – sejam eles machos ou fêmeas – mais do que os homens e, além disso, de uma maneira mais carinhosa. Sendo assim, elas têm frequentemente um relacionamento mais intenso com os seus gatos em comparação aos homens.

Por conta disso, os gatos também se aproximam mais de suas donas e tomam a iniciativa mais vezes de entrar contato, através de tentativas de comunicação e ações como pular no colo.

Um gato age com a dona como um bebê age com a sua mãe

Assim como acontece com bebês, que através do choro sinalizam para a sua mãe quando querem comer e receber colo, o gato, por meio do seu miado e linguagem corporal, comunica frequentemente para a sua dona quando ele quer receber carinho e se alimentar. Similarmente, a comida serve, em ambos os casos, como a principal forma da “mãe” mostrar carinho e atenção ao seu “filho.”

A comunicação entre gatos e seus donos é tão forte que ambos conseguem expressar a sua necessidade de dar e receber carinho e atenção, além de compreender a necessidade do outro. Chaussures Nike Aliás, os pesquisadores concluíram que gatos e os seus donos são altamente influenciados um por outro.

Por exemplo, quando o gato está no colo de sua dona, ele, por vezes, começa a agir como um bebê. Paralelamente, a dona tende a agir como uma mãe, que conversa com o filho e oferece calor e conforto da melhor forma possível. mochilas kanken baratas Essa comunicação é intensificada com mulheres extrovertidas e gatos novos e ativos. Nesses casos, os gatos precisavam apenas dar dicas sutis para serem compreendidos por suas donas.

Como os gatos enxergam seus donos

Gatos se relacionam com humanos e principalmente com as suas donas, como parceiros sociais. Soldes Nike Pour Femme Aliás, os gatos enxergam os seus donos como gatos gigantes, e não como membros de uma espécie diferente. fjallraven kanken classic Eles lembram da bondade dos seus donos e retornam o favor em um momento oportuno.

Coisas que seu gato ama fazer com você – e o que ele acha delas

Nossos peludos são companheiros para todas as horas e tem coisas que eles simplesmente não deixam a gente fazer sozinho! Por exemplo… Ler um livro “Mamãe, kobe 11 pas cher você não ficar horas olhando para isso aí e não para mim, nike air max 2017 dames wit né?” 1 Mexer no computador “Minha caminha aquecida. goedkoop nike air max Minha!” 10 Escolher o lanche “Vamos ver… não tem sachê?” 2 Comer o lanche “Ok, Nike Air Max 2017 Dames blauw isso serve…” 4 Lavar a louça “Nhaami” pia Assistir TV “Ron?” 3 Estudar “Livro com cheirinho da mamãe ?“ 6 Ir ao banheiro “Não tá achando que eu vou te deixar sozinho aí dentro, air max 90 pas cher né?” 5 Arrumar a cama “Ebaaa! Esconde-esconde!” arrumar cama Lavar roupas “Montanhismo! Miauu!” 9 Preguiçar na cama de domingo “Ron… ron… ron…” 8 E aí, Kanken 20L seu gato também é parceiro assim? Então vai lá dar um abraço e uma massagem fofa nele,

Adestrador chama atenção nas ruas por passear com vários Pastores Alemães sem guia

O brasileiro Augusto de Oliveira tem chamado atenção nas ruas de onde mora, em Hyannis, Massachusetts, por andar com sua matilha de Pastores Alemães, todos muito bem comportados e sem o auxílio de guias.

Augusto é o proprietário do Griffin Shepherd Kennels, que oferece ao público adestramento canino e é especializado na criação de cães da raça Pastor Alemão.

Foto: Laurentiu Garofeanu/Barcorft USA
Foto: Laurentiu Garofeanu/Barcorft USA

Augusto conta que sua história de vida naturalmente o levou a trabalhar com cachorros. Soldes Chaussures Nike Após crescer cercado de cães uma fazenda no Brasil, em um ambiente no qual os cães nunca estavam presos, ele aprendeu como os animais interagiam e como o grupo funciona. Mochilas Kanken Classic Com o auxílio de adestradores, que viram nele um talento nato, Augusto foi então aprendendo e trabalhando sua técnica.

Ele conta que os cães estão sempre presentes na sua vida e que eles o vêem como líder da matilha. sac à dos fjallraven kanken pas cher Nas caminhadas sem guia, ele conta que os cães estão simplesmente obedecendo comandos aprendidos no treinamento, assim como lendo seus sinais corporais. 2017 nike air max pas cher Eles devem permanecer na mesma posição, sem trocar a formação.

Foto: Laurentiu Garofeanu/Barcorft USA
Foto: Laurentiu Garofeanu/Barcorft USA

No mês passado, para aumentar ainda mais o nível de dificuldade, devido a todas as distrações extras, Augusto seus 6 de seus cães saíram nas ruas da elétrica Boston. fjällräven kånken big Por onde passaram, os transeuntes ficaram impressionados com sua habilidade de levar os cães de grande porte tranquilamente e sem guias.

Em 2013, Augusto já havia se tornado uma sensação online após compartilhar um vídeo passeando com seus cães.

Empresa californiana de design constrói túnel para gatos em projeto

Because we can, uma empresa californiana de design baseada em São Francisco, criou o que eles chamam de Cat Transit System (Sistema de trânsito de gatos, tradução livre) para o escritório em casa de um cliente.

Esse túnel especialmente desenvolvido para a mobilidade do pet do cliente no cômodo permite que o felino tenha uma visão provilegiada do ambiente através de aberturas estrategicamente localizadas, pontos de acesso escondidos e alguns outros elementos bem bacanas, como um roda operável.

Foi instalada de uma maneira que o gato possa explorar a estrutura customizada desse espaço que é chamado de Mad Scientist Home Workshop. O nome Cientista maluco de fato explica a inspiração desse escritório que sem dúvida é um sonho de consumo.

 

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação